Repres empresas conhecem infraest projO Núcleo de Gerenciamento de Transporte Metropolitano (NGTM) realizou nesta quarta-feira (30) visita técnica à Rodovia BR-316 e aos locais da infraestrutura do projeto do BRT Metropolitano, com representantes de empresas interessadas em participar das obras. A visita é mais uma etapa da Licitação Pública Internacional nº 1/ 2017 – NGTM, para a reestruturação da BR-316 e a construção do BRT Metropolitano, obras que fazem parte do “Ação Metrópole”, projeto de mobilidade urbana executado pelo governo do Estado.

Participaram da visita técnica dirigentes do NGTM, membros da comissão de licitação e representantes de 11 empresas. A visita começou com reunião na sede do NGTM, seguida da vistoria pelos seguintes locais: Avenida Almirante Barroso, Entroncamento, corredor da BR-316, área do terminal Ananindeua, área do terminal Marituba, Avenida Augusto Montenegro e área do edifício do Centro de Controle Operacional. “A visita técnica é mais uma etapa do processo licitatório. As empresas interessadas em executar as obras puderam ver in loco a situação atual da BR-316, assim como os locais onde serão implantados os terminais de Ananindeua e Marituba, e o Centro de Controle Operacional”, explicou o diretor geral do NGTM, Cesar Meira.

O Núcleo de Gerenciamento publicou em 29 de novembro do ano passado o Edital da Licitação Pública Internacional 001/2016-NGTM, para o qual apenas uma proponente se apresentou, e teve sua proposta considerada inadequada. Por isso, a licitação foi encerrada, conforme publicado no Diário Oficial do Estado em 7 de junho de 2017. Por isso, foram efetuadas algumas alterações no edital e encaminhado à Agência de Cooperação Internacional do Japão (Jica), financiadora do projeto, para apreciação e aprovação. Com a aprovação da Agência, o governo deu prosseguimento ao processo licitatório e publicou edital de abertura da nova licitação.

Por se tratar de licitação internacional, a mesma é conduzida por meio de procedimentos e diretrizes aplicáveis para Aquisições Financiadas por Empréstimos ODA do Japão (Guidelines for Procurement under Japanese ODA Loans), e está aberta a todas as licitantes de países-fonte elegíveis. A partir da publicação do edital as empresas interessadas podem obtê-lo com cadastro e download no site www.ngtm.com.br.

Recursos - Tão logo sejam encerrados os trâmites licitatórios, o governo do Estado vai começar os trabalhos na rodovia, pois as obras já contam com recursos da Agência de Cooperação Internacional do Japão e contrapartida do Estado. A próxima etapa do processo licitatório será a entrega e abertura das propostas, na sede do NGTM, no dia 2 de outubro de 2017, na presença dos representantes das licitantes.

No fim de 2013, o NGTM deu início ao processo licitatório internacional para a elaboração do projeto executivo e execução do gerenciamento da obra do BRT Metropolitano. Em fevereiro de 2014 foi assinado o contrato com o consórcio Troncal, vencedor do certame. Ele é constituído por quatro empresas, duas brasileiras e duas japonesas.

O projeto executivo já foi concluído e o prazo de execução da obra é de 19 meses. Para que o projeto seja viabilizado, o Estado firmou, com a Jica, o contrato de empréstimo destinado a custear a execução das obras do sistema troncal de ônibus da Região Metropolitana de Belém, incluindo a implantação do sistema de controle operacional, o Contrato de Empréstimo nº BZ-P20.

Integração - O BRT (Bus Rapid Transit) Metropolitano também faz parte do projeto de reconstrução da BR-316, e vai integrar a Região Metropolitana de Belém - primeiramente Belém, Ananindeua e Marituba, e posteriormente o município de Benevides. O novo sistema de transporte urbano reduzirá em cerca de 50% o tempo de viagem do destino ao centro de Belém, e vice-versa. Com o novo sistema, a população contará com um transporte limpo, seguro, de qualidade, com horários precisos de chegada e saída.

As obras do projeto incluem duas pistas, uma em cada sentido, com quatro faixas cada (uma exclusiva para o BRT). Haverá nova iluminação de LED, drenagem, pavimentação, calçadas arborizadas, ciclovias bidirecionais nas duas extremidades, 13 passarelas por sentido para travessia de pedestres e paisagismo. O projeto irá reconfigurar o cenário de mobilidade urbana da RMB, com a reestruturação da BR-316 e implantação do Sistema de Troncal de Ônibus BRT Metropolitano.

O Projeto Ação Metrópole representa um investimento de R$ 530 milhões, e faz parte de um sistema que funcionará integrado a outros projetos executados pelo governo do Estado, como a Avenida Independência (orçada em R$ 120 milhões), já concluída; a duplicação da Avenida Perimetral (R$ 77 milhões), cuja primeira fase já foi executada e entregue, e a segunda está em andamento, e o prolongamento da Avenida João Paulo II (R$ 300 milhões), que está em andamento e tem previsão de entrega em dezembro de 2017.

"Esse é o maior programa de mobilidade urbana executado até hoje no Pará, não só pela complexidade das obras, mas também pelo expressivo montante de investimentos. É esse conjunto de obras que vai mudar a configuração da mobilidade urbana da cidade e, consequentemente, trará mais qualidade de vida, com a implementação de novas vias, um sistema de transporte público de qualidade e um trânsito mais adequado e seguro para a população”, ressaltou Cesar Meira.

 

Por Manu Viana