Av JP2 comeca integrada prolong2Em virtude das obras de prolongamento da Avenida João Paulo II, executada pelo Núcleo de Gerenciamento de Transporte Metropolitano (NGTM), do Governo do Estado do Pará, o trecho compreendido entre a passagem Coração de Jesus e Rua Mariano será parcialmente interditado, a partir desta quarta-feira, 31. Com isso, ocorrerá bloqueio parcial da Avenida, inicialmente na pista da direita, no sentido Belém/Ananindeua.

Com a mudança, a Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (Semob), orienta que quem precisar trafegar pelo perímetro em obras deverá seguir por um contrafluxo na pista da esquerda, da Avenida até a Rua Mariano. Com a finalização dos serviços na pista da direita, os trabalhos terão continuidade pela pista da esquerda, sentido Ananindeua/Belém, alterando o trânsito no sentido inverso.

A alteração é necessária para que a Avenida João Paulo II seja “conectada” ao seu prolongamento, que irá da Passagem Mariano até a BR-316, totalizando 4,7 quilômetros. A nova via possuirá acostamentos, ciclovias e calçadas, respeitando os preceitos legais de acessibilidade. Também contará com drenagem, iluminação pública e monitoramento de segurança. Sete passarelas para pedestres serão implantadas ao longo da via, às proximidades dos seis pares de pontos de ônibus urbanos.

A interligação da Avenida João Paulo II com a BR-316 se dará com a construção da quarta pétala do elevado do Coqueiro. A conexão do prolongamento com o elevado e deste com a Rodovia Mário Covas também permitirá o acesso direto à capital de veículos oriundos dos conjuntos Cidade Nova e Paar, e dos bairros do Coqueiro e 40 Horas, em Ananindeua. Com isso, o projeto busca melhorar a distribuição do tráfego geral e do transporte público e viabilizar a implantação do BRT na Rodovia BR-316 até Marituba.

A nova avenida será uma via metropolitana de duas pistas para tráfego geral, cada uma com 10,50 metros de largura, divididas em três faixas de tráfego com 3,50 metros cada. Na maior parte de seu comprimento, a avenida terá 2,50 metros de acostamento, 2,50 metros para ciclovia bidirecional, 2 metros de calçada do lado esquerdo e 1,20m do lado direito, no sentido Passagem Mariano/ BR-316, separada por canteiro central, que terá largura variável.

O projeto prevê duas pontes, uma (com 176m) a 60 metros da Passagem Mariano, transpondo a ponta do Lago Bolonha, e a outra (com 224m) a 30m da Rua da Pedreirinha, transpondo a ponta do Lago Água Preta. A primeira a ser montada é a que transpõe o Lago Bolonha. As pontes possuem estrutura mista em metal e concreto.

Projeto

Alguns dos benefícios que o projeto de desenvolvimento urbano Ação Metrópole trará para a RMB, com a construção da nova Avenida João Paulo II são: desenvolvimento para a Região Metropolitana de Belém (RMB); uma nova via de acesso à capital paraense; suporte para a implantação do Bus Rapid Transit – O BRT Metropolitano; proteção ao Parque Ambiental do Utinga; criação de grande área de lazer com equipamentos urbanos e proteção dos mananciais que abastecem Belém.

As obras da nova avenida, que representa a segunda etapa do projeto Ação Metrópole, totalizam investimentos na ordem de R$ 300 milhões, sendo R$ 104 milhões de recursos provenientes do FGTS/ Caixa Econômica; R$ 80 milhões do OGU/ Caixa Econômica e R$ 118 milhões de contrapartida do Governo, verba oriunda do Tesouro Estadual. O início das obras de prolongamento da Avenida João Paulo II se deu com a autorização oficial do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) para prospecção arqueológica na área de abrangência da nova via. A licença foi oficializada pela Portaria nº 32, de 25 de julho de 2013.

O projeto trará benefícios nas áreas ambiental, paisagística, social, de segurança, mobilidade, telecomunicações e de saneamento básico. E, o prolongamento da João Paulo II desafogará em grande escala o tráfego na RMB, pois hoje o acesso à capital paraense é feito pela Rodovia BR-316 e pela nova Avenida Independência e, com o prolongamento, os motoristas passarão a contar com uma terceira opção.

Além da nova avenida, quatro vias que completam o sistema de mobilidade receberão pavimentação, drenagem e iluminação pública. São elas: Rua Moça Bonita (entre Av. João Paulo II e BR-316); Rua do Fio (entre Passagem Simões e BR-316); Passagem Simões (entre Rua do Fio e Av. João Paulo II); Rua da Pedreirinha (entre e Av. João Paulo II e BR-316). A área do projeto mede 271,41 hectares e abrange os bairros do Curió-Utinga e Guanabara, que têm cerca de 40 mil habitantes.

A concepção do projeto prevê uma composição paisagística, que se harmonizará com a do Parque do Utinga. Contudo, a área da nova avenida será uma das mais belas de Belém e, somada à nova proposta do Parque Ambiental do Utinga, se tornará um ponto de contemplação da natureza, entretenimento, esporte e lazer.

 

Por Manu Viana