O Núcleo de Gerenciamento de Transporte Metropolitano (NGTM) foi criado para dar celeridade às obras do Ação Metrópole, projeto do Governo do Estado que objetiva implantar o Sistema Integrado de Transporte da Região Metropolitana de Belém. O governador Simão Jatene sancionou a Lei 7.573, que criou o Núcleo qualificado como unidade orçamentária, vinculada à Secretaria Especial de Estado de Infraestrutura e Logística para o Desenvolvimento Sustentável. O decreto de criação do Núcleo foi publicado no dia 2 de dezembro de 2011, no Diário Oficial do Estado. O NGTM conta com 36 servidores, sede própria e se extinguirá com a conclusão do projeto, previsto para ser concluído em 2015.

O Ação Metrópole tem como finalidade solucionar o grande problema de mobilidade urbana na Região Metropolitana de Belém, através da implantação do Sistema Integrado de Transporte, das vias complementares e demais obras de infraestrutura de tráfego e transporte, bem como planejar e implementar o modelo de gestão para esse sistema. O projeto é desenvolvido em parceria com a Agência Internacional do Japão (JICA), desde 1990.

Projeto- O Ação Metrópole está dividido em três etapas. Em 2012, no dia 8 março, teve início a segunda etapa com a publicação no Diário Oficial do Estado do Pará, do edital do Termo de Referência para Contratação de Estudos Ambientais e Projeto Executivo de Engenharia Viária Relativo à obra do prolongamento da Avenida João Paulo II, no trecho compreendido entre a passagem Mariano e a Rodovia Mário Covas.

A obra terá cerca de 3.800 metros e será também uma segunda opção de entrada e saída da capital paraense, que hoje conta apenas com a Rodovia BR-316. A nova Avenida João Paulo II terá duas pistas, com três faixas por sentido, ciclovia e calçadas em ambos os lados e a implantação de duas pontes, uma a 60 metros da passagem Mariano, transpondo a ponta Lago Bolonha e outra a 200m da rua da Pedreirinha, transpondo a ponta do Lago Água Preta. A interligação da avenida com a BR-316 se dará com a construção da quarta pétala do elevado Mário Covas, uma obra de aproximadamente 200 metros.

A primeira etapa do Ação Metrópole já foi concluída, corresponde a construção  do elevado "Gunnar Vingren", nas Avenidas Júlio Cezar e Centenário, e "Daniel Berg", nas Avenidas Júlio Cezar e Pedro Álvares Cabral; o prolongamento da Avenida Independência e a recuperação da Rodovia Arthur Bernardes.

A terceira fase será a implantação do Sistema BRT (Bus Rapid Transit), trafegando em canaletas na rodovia BR-316, através de faixas exclusivas, no trecho do Entroncamento até o município de Marituba. O modelo conceitual de BRT é operado por ônibus articulados com 4 portas no lado esquerdo, trafegando em canaletas na Rodovia BR-3216. O projeto para a RMB se enquadra no tipo ônibus troncal com faixa exclusiva e ultrapassagem, prevendo ônibus de 20m de comprimento com capacidade para 200 passageiros, elevando a capacidade dos corredores BR-316 para 24.000 pass./hora pico/sentido.

O Projeto Ação Metrópole prevê ainda, a gestão operacional associada dos serviços de transporte público por ônibus, executada por um consórcio formado pelas prefeituras que fazem parte da RMB.